Novo Concurso do Banco Central 2018 – Previsão


Novo pedido solicita 220 vagas em seu quadro de pessoal.

Nova perspectiva de processo seletivo de grande vulto está prestes a concretizar-se. O Ministério do Planejamento, de Desenvolvimento e de Gestão, o MPDG, prossegue analisando a nova solicitação de certame do Bacen, ou Banco Central do Brasil, muito conhecido por BC ou BCB, encaminhada a partir do dia 30 de maio deste ano. Na totalidade, o órgão pediu um número de 220 vagas destinadas ao seu quadro de pessoal.

Destes postos de trabalho contemplados pelo Bacen, 200 se destinam à carreira de analista e as demais 20 ao cargo de procurador. Assim, a expectativa é de que este certame seja realizado em breve, como novo concurso do Banco Central, dado que há grande desfalque de pessoal no órgão. Este será um dos mais importantes concursos públicos realizados no segundo semestre de 2018.


Com relação aos cargos do concurso do Bacen, o setor de técnico, o qual foi retirado da lista de vagas a preencher, se destinaria aos profissionais que possuem diploma de ensino médio conferido por qualquer instituição reconhecida pelo Ministério da Educação e da Cultura, o MEC, sendo que o mesmo paga vencimento inicial no valor de 6.463,44 reais.

Sobre os postos de analista e de procurador, são aceitos candidatos que comprovem graduação superior nas mais diversas áreas de atuação profissional. Neste caso, as remunerações correspondem aos valores 16.286,90 reais e de 17.788,33 reais, respectivamente. Observação importante: em todas as remunerações já está incluso o valor do benefício-alimentação, o qual equivale a 458 reais por mês.

De acordo com o histórico registrado no último concurso para o cargo de técnico e de analista no Bacen, realizado no ano de 2013, o Banco Central promoveu uma seleção com 500 vagas destinadas a estes mesmos cargos. Naquela ocasião, a banca responsável pela organização foi o instituto Cespe/UnB e a remuneração inicial estava oscilando entre os valores de 5.158,23 e de 14.289,24 mil reais.



Para a carreira de técnico foram ofertadas 100 postos de trabalho disponíveis, que estavam divididos entre duas áreas, ou seja, a de suporte técnico-administrativo e a de segurança institucional. Todas as pessoas que concorreram, naquele ano, a esta vaga estável, necessitaram comprovar a posse de certificado ensino médio de escolaridade.

No caso dos profissionais com nível superior de formação acadêmica, o cargo de analista, com 400 vagas disponíveis, estava distribuído em, pelo menos, seis áreas de conhecimentos distintas: a de análise e desenvolvimento de sistemas; a de suporte à infraestrutura em tecnologia da informação; no setor de política econômica e política monetária; no setor de contabilidade e finanças; no setor de infraestrutura e logística, e no setor de gestão e de análise processual.

Aquele processo seletivo, especificamente, consistiu em uma prova objetiva; em um teste discursivo e na análise final de títulos, sendo que este último exame foi destinado, apenas, aos concorrentes do cargo de analista. Em seguida, houve um intenso programa de capacitação destinado a todos os candidatos aprovados.

Naquele mesmo concurso público, todos os profissionais foram encaminhados para ocupação de vagas em Brasília, Distrito Federal; em Belém, Estado do Pará; em São Paulo, Estado de São Paulo; em Salvador, Estado da Bahia e em Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul. É provável que o número de regiões do país a ser abrangido neste próximo processo seletivo seja maior. Ainda com relação ao anterior certame, o mesmo foi realizado sob a organização do Cespe/UnB, sendo que o concurso avaliou os concorrentes por meio de um teste objetivo, de uma inscrição definitiva, por meio de provas discursivas, de exame oral e por meio da análise de títulos.

Vale a pena manter-se atualizado.

Paulo Henrique dos Santos

Deixe o seu comentário