Concurso Previsto Ministério da Fazenda 2018 – Vagas


Certame deverá ser realizado neste ano de 2018 e terá, provavelmente, 1.161 vagas abertas.

Uma boa notícia em termos de concurso público é aguardada para este ano. Isso porque o Ministério da Fazenda está se preparando para a abertura das inscrições para o seu certame.

Ao que tudo indica, o pedido para a seleção do órgão já foi enviado para o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o MPOG, aguardando agora a resposta desse para o seguimento do processo seletivo. Ao todo, serão 1.161 oportunidades, sendo dessas 257 para o nível superior e 904 para o nível médio.


Déficit de Pessoas

Conforme as informações preliminares do documento, a solicitação para a realização do concurso mostrou uma realidade preocupante, já que o Ministério vem apresentando uma redução preocupante no seu quadro de pessoas. Com isso, a maior parte das vagas que já são existentes não está sendo preenchida, tanto pelos egressos que são cada vez mais crescentes, como pelo pequeno número de vagas que são autorizadas pela realização dos concursos públicos.

Segundo o órgão, sob responsabilidade da Coordenação de Gestão de Pessoas, o déficit de servidores chegou a 21.795, englobando os cargos de Analista Tributário da Receita, Auditor da Receita e outras funções administrativas. Com essa defasagem, os efeitos são negativos, já que fica comprometida a prestação dos serviços pela administração tributária e alfandegária para a sociedade.

Vale ressaltar que, à medida que o Brasil cresce, aumenta também a demanda por tais serviços. Sendo assim, para uma boa administração, seria imprescindível a realização de concursos públicos de forma periódica para o Ministério, reabastecendo o quadro de pessoas.



Outro dado que ressalta a situação urgente do órgão foi divulgado pelo Painel Estatístico de Pessoal do Planejamento, referente ao ano de 2017. Nesse, consta a aposentadoria de, nada mais e nada menos, que 1.158 servidores.

Um dos fatores de contribuição para esse elevado número é o aumento crescente do perfil etário relacionado aos servidores que participam e atuam no Ministério. Sendo assim, atualmente o quadro é composto, por sua maioria, por profissionais com idade entre 50 a 59 anos.

Com isso, portanto, além de um alto número de faltas, muitos trabalhadores já se aproximam das condições de aposentaria para os próximos anos, agravando ainda mais a situação já existente.

Cargos solicitados para o Concurso do Ministério da Fazenda

Ao que tudo indica e conforme informações, o certame irá contemplar os seguintes cargos: analista técnico administrativo e assistente técnico administrativo. Além disso, ainda há a expectativa de que sejam criadas oportunidades para arquivistas, arquiteto, contador, bibliotecário, engenheiro, pedagogo, enfermeiro, técnico em comunicação social e psicólogo.

Em relação aos salários, a expectativa é de que esses oscilem entre os R$ 3.953,68 e podendo chegar a até R$ 6.388,27, já acrescido o valor do auxílio-alimentação.

Espera desde 2017

O concurso do Ministério da Fazenda já é aguardado desde 2017. Porém, o edital não teve a sua divulgação. Na ocasião, foi solicitada a seleção de 400 servidores, entre os cargos de auditor e analista da Receita Federal e assistente técnico-administrativo.

O último concurso que foi realizado nesse sentido aconteceu no ano de 2014. Na época, foram oferecidas no total 1.026 oportunidades, com a avaliação por meio de provas objetivas com os seguintes assuntos: matemática, língua portuguesa, raciocínio lógico, atualidades, conhecimentos de informática, gestão de pessoas, atendimento ao público, administração pública brasileira, regime jurídico dos agentes públicos e ética do servidor na administração.

Participaram 263.770 inscritos. Com isso, a média por vaga ficou em 257 candidatos.

Apesar das diversas incertezas ainda acerca da sua realização, resta ficar ligado nas futuras informações que chegarão sobre o certame para não ficar de fora. O Ministério da Fazenda atua na formulação e na execução de toda a política econômica nacional através da Secretaria do Tesouro Nacional e pela administração superior da estrutura fiscal federal.

Por Kellen Kunz

Deixe o seu comentário